Aumentar fonte

26 de ago de 2009

Trufas | Maria Beatriz

 Derreta o chocolate meio amargo em banho maria. Com a ajuda de um garfo, mergulhe completamente cada trufa no chocolate, retire e dê algumas "batidinhas" (sobre o próprio chocolate derretido) para eliminar o excesso e obter um banho uniforme e fino.
Coloque novamente sobre o papel-alumínio, decore a gosto e leve à geladeira por alguns minutos para secar. Retire da geladeira e acomode-as numa travessa...

 Veja toda a receita aqui


CURIOSIDADES SOBRE A TRUFA VERDADEIRA: A trufa é um fungo subterrâneo que vive em simbiose com alguns tipos de árvores, como o carvalho, a castanheira e a avelaneira. Do latim tuber (que significa excrecência) tem o formato arredondado, apresenta variados tamanhos e superfície irregular. É encontrada a aproximadamente 30 cm de profundidade em florestas nativas e não pode ser cultivada, ainda que na região do Périgord francês, existam iniciativas no sentido de “semear” trufas em raízes de árvores, para cultivo controlado que, no entanto, é incipiente Iguaria apreciada desde os egípcios, é colhida na floresta por catadores de trufas (tartufaio, em italiano) com auxílio de cães farejadores treinados que substituíram os porcos utilizados no passado. Existem mais de 70 variedades de trufas, 32 delas encontradas na Europa. Nem todas são comestíveis e as mais apreciadas são a tuber melanosporum, ou trufa preta, e a caríssima tuber magnatum as brancas de Alba, na Itália. Estas começam a ser colhidas em outubro, com trufas boas até pouco antes do Natal. O feudo da trufa branca, bastante difícil de encontrar, é a esplêndida cidade de Alba, que deu seu nome a trufa. Seu custo, exorbitante, atinge €4.000 o quilo (R$ 12 mil). A sua cor é amarelo sujo, indo para o bege, lembrando marfim velho. Já a trufa negra no corte se parece com um mármore negro e bege. Tem um perfume estupendo, menos intenso que a branca, e diferente. A trufa preta vale cinco vezes menos que a Alba.
*

Receitas mais visitadas