Translate

29 de abr de 2011

Biscoito Maria em Camadas


Veja a receita no link abaixo

27 de abr de 2011

Torta Mousse de Chocolate


Veja a receita no link abaixo

20 de abr de 2011

Bolo Mousse de Chocolate Branco

Massa: Pão de ló branco
6 ovos inteiros
*2 copos de açúcar
*2 copos de farinha de trigo
1 copo de leite morno
1 colher (sopa) fermento em pó


Bata as claras em neve e acrescente as gemas, uma a uma e deixe bater novamente. Acrescente o açúcar e bata por 10 minutos. Em uma vasilha, peneire a farinha de trigo com o fermento em pó. Acrescente na massa e continue batendo. Leve para assar em forma untada e enfarinhada.

Recheio:
1 lata de creme de leite
300 g de chocolate branco
1 lata de leite condensado
2 colheres (sopa) gelatina em pó sem sabor
125 ml de água
125 ml de creme de leite fresco


Leve ao banho-maria o creme de leite e o chocolate branco picadinho, até que dissolva. Misture o leite condensado e esfrie. Dissolva a gelatina em pó com a água e derretida em banho-maria e incorpore na mistura. Reserve.
Bata o creme de leite fresco até virar chantilly. Incorpore bem devagar na mistura reservada e leve para gelar.


Cobertura:
250 ml de creme de leite fresco
1 colher (sopa) açúcar
100 g de chocolate branco

Bata o creme de leite com o açúcar até virar chantilly. Adicione o chocolate derretido e empregue como cobertura.

Calda:
1 xícara (chá) leite
2 colheres (sopa) açúcar
1 colher (chá) licor de cacau


Montagem do bolo:
Corte a massa em 3 partes. Primeiro, marque toda a volta com a ajuda d eu ma faca de serra. Depois, finalize o corte com a ajuda de um pedaço de fio dental. Finalize, separando a fatia do bolo, introduzindo o fundo falso de uma assadeira de aro removível e reservando as outras partes.
Utilize uma forma de aro removível para montar o bolo.
Coloque uma das fatias do bolo sobre o fundo e já coloque dentro da forma. Regue com a calda e coloque metade do recheio. Leve para gelar. Coloque outra parte de bolo e repita o processo. Finalize, com outra fatia de bolo e retire a lateral da forma. Cubra com a cobertura e decore a gosto.


*Medida do copo: 250 ml
Tempo de preparo: 3 horas
Grau de dificuldade: fácil
Rendimento: 30 porções













Suflê de Chocolate


Veja esta receita no link abaixo

15 de abr de 2011

Arroz com Polvo Bêbado


Lave e corte o polvo em pedaços. Coloque os pedaços em um refratário de vidro redondo e regue com limão, deixe marinar por 1 hora depois cubra com o aguardente e deixe por 4 horas marinando. Depois de marinado, jogue fora o aguardente e reserve os pedaços do polvo. Em uma panela coloque azeite e deixe esquentar, refogue a cebola e o alho, junte os pedaços do polvo e todos os temperos, cubra com um pouco de água, quando estiver fervendo coloque os cubos de caldo de peixe e deixe cozinhar ate o polvo ficar molinho...


9 de abr de 2011

Torta Sírio-Libanesa

Numa tigela, junte todos os ingredientes secos e misture. Noutra tigela, misture os demais ingredientes e misture bem. Junte os ingredientes secos aos líquidos e misture apenas para que se incorporem. Coloque esta massa sobre o creme, na forma.
Leve a forma ao forno pré-aquecido...

Continue lendo


4 de abr de 2011

Dica de livro



SINOPSE
"Minha reputação culinária ... promete apagar minha reputação literária. Louvado seja Deus!" Naturalmente, essa amarga previsão de Dumas não se concretizou. Ao contrário, a popularidade de Os três mosqueteiros e O conde de Monte Cristo, entre muitos outros, é que ofuscou o Grande dicionário de culinária montado pacientemente pelo autor ao longo de 15 anos. E é dessa obra de referência gastronômica, hoje reconhecida como das mais importantes, que se originam os dois textos aqui apresentados.
O primeiro, Memórias gastronômicas, consiste numa carta de Dumas a seu amigo Jules Janin, escritor e crítico literário. Nela, o missivista, "a pretexto de uma conversa rápida sobre os séculos XIX, XVIII e até mesmo o XVII", ora mistura recordações pessoais a peripécias culinárias do passado ou contemporâneas – como em "Um frango assado antes da guilhotina", "A aposta de Viel-Castel", ou nas hilariantes e peculiares "Reflexões sobre a salada" –, ora faz uso de seu talento como cronista, discorrendo informalmente sobre personalidades ilustres da história da gastronomia, jantares inesquecíveis, farras da mocidade, sua curiosa temporada numa aldeia da Bretanha... Transcreve documentos, como a carta de Carême tecendo comentários nada lisonjeiros sobre Brillat-Savarin, e nos convida sem cerimônia para as ceias que promovia em seu Palacete Monte Cristo, revelando o segredo da receita de sua salada e reproduzindo cardápios históricos.
Já em Pequena história da culinária, a máquina do tempo de Alexandre Dumas transporta o leitor da Macieira do Paraíso à inauguração do primeiro restaurante em Paris, passando pelos gregos, Xerxes, Alexandre, Calígula, Apício e Lúculo, o Renascimento, a introdução dos talheres e das especiarias até a profissionalização da gastronomia. Dumas dá vazão a seu espírito de curiosidade e bom humor, numa conversa informal e descontraída sobre o caprichoso universo da "oitava arte". A edição inclui ainda notas históricas acerca de personagens e fatos específicos, e, como brinde, um "Cardápio D'Artagnan", com as respectivas receitas. Que o leitor deguste e se divirta.

Cheesecake de chocolate e menta


Menta e hortelã são nomes populares usados para designar espécies que pertencem a um mesmo gênero, chamado Mentha. Ao redor do mundo existem de 25 a 30 espécies naturais desse gênero - além de outras tantas espécies criadas pelo ser humano -, mas o mais comum, no Brasil, é chamar de hortelã os pezinhos da espécie Mentha piperita e de menta os da Mentha spicata. As demais espécies, como são bem parecidas, costumam variar entre os dois nomes populares. A confusão é comum porque o cruzamento entre as Menthas resulta em plantas parecidas, embora bem diferentes biologicamente. Isso faz com que os pesquisadores tenham dificuldades em identificar que tipo de Mentha é. Parte da confusão também se deve ao fato de os nomes populares variarem de região para região. Enquanto no sul do Brasil a maioria das espécies é chamada de menta, no interior de São Paulo e no Nordeste é mais comum usar hortelã para designar qualquer uma delas.


Aprenda a preparar este cheesecake agora mesmo! Veja como fazer no link abaixo http://twixar.com/LpwOkkq0